Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.17/641
Título: Incidência de Arritmias Ventriculares em Doentes com Disfunção Sistólica Ventricular Esquerda Grave: Existe Benefício Após Terapêutica de Ressincronização Cardíaca
Outros títulos: Incidence of Ventricular Arrhythmias in Patients with Severe Left Ventricular Systolic Dysfunction: is there a Benefit After Cardiac Resynchronization Therapy?
Autor: Timóteo, AT
Oliveira, MM
Nogueira da Silva, M
Toste, A
Ramos, R
Feliciano, J
Silva Cunha, P
Soares, R
Santos, S
Cruz Ferreira, R
Palavras-chave: Arritmias Cardíacas
Terapêutica de Ressincronização Cardíaca
Incidência
Estudos Retrospectivos
Índice de Gravidade da Doença
Sístole
Disfunção Ventricular Esquerda
Data: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citação: Rev Port Cardiol. 2011 Nov;30(11):823-8
Resumo: Introdução: A terapêutica de ressincronização cardíaca (TRC) tem benefícios significativos em doentes seleccionados. O impacto desta modalidade na incidência de taquidisritmias ventriculares permanece controverso. Analisámos a ocorrência de terapêuticas apropriadas em doentes submetidos a TRC combinada com cardioversor-desfibrilhador (CDI). Métodos: Estudo de 123 doentes com fracção de ejecção ventricular esquerda (FEVE) < 35%, submetidos a implantação com sucesso de TRC-CDI ou CDI isoladamente (prevenção primária). Resultados: Idade média foi 63±12 anos, FEVE de 25±6%, seguimento mediano de 372 dias. Implantou-se TRC-CDI em 63 doentes (grupo A) e CDI isoladamente em 60 doentes (grupo B). No grupo A tivemos 86% de respondedores clínicos, menor prevalência de miocardiopatia isquémica(30% versus 72%), e mais doentes em classe III da NYHA antes da implantação do dispositivo(90% versus 7%) comparativamente com o grupo com CDI isoladamente. Não se identificaram diferenças relativamente à incidência de terapêuticas apropriadas (19% versus 12%) ou no tempo para a primeira terapêutica (305 dias versus 293 dias). A mortalidade total foi de 11% no grupo A e de 12% no grupo B. As curvas de Kaplan-Meier para eventos arrítmicos em doentes com TRC, não mostraram diferenças significativas (HR 3,02, IC 95% 0,82-11,09, p = NS) comparativamente com doentes sem TRC. Conclusões: Em doentes submetidos a TRC-CDI por prevenção primária, apesar da elevada taxa de respondedores, a incidência de terapêuticas apropriadas não foi diferente do obtido em doentes com CDI isoladamente.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.17/641
Aparece nas colecções:CAR - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RPC 2011 823.pdf160,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.