Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.17/257
Título: Análise Retrospectiva do Protocolo de Tratamento Utilizado na Consulta Multidisciplinar de Úlcera de Perna do Hospital dos Capuchos no Período entre 2002 e 1º Semestre 2006
Autor: Dias Coelho, J
Clerigué, A
Neves, J
Pereira Alves, C
Palavras-chave: Estudos Retrospectivos
Cicatrização de Feridas
Úlcera da Perna
Úlcera Venosa
HSAC
Data: 2008
Editora: Sociedade Portuguesa de Cirurgia
Citação: Rev Port Cir 2008; 5: 19-24
Resumo: As úlceras de perna constituem uma importante patologia causando uma diminuição da qualidade de vida, hospitalizações frequentes e aumento da mortalidade e morbilidade. Têm uma incidência de 1% na população adulta, sendo que esta incidência atinge níveis de 10% nos escalões etários superiores a 70 anos. Cerca de 95% das úlceras são venosas, arteriais, mistas ou diabéticas, sendo as mais frequentes as úlceras venosas (70 a 80%). Com o objectivo de optimizar o tratamento e acompanhamento dos doentes com esta patologia, foi criada em 2002 uma Consulta de Referência Multidisciplinar de Úlcera de Perna, no Hospital dos Capuchos. Simultaneamente foi estabelecido um protocolo de referenciação/ tratamento com os Centros de Saúde da Unidade B da Sub-região de Saúde de Lisboa. Neste protocolo o doente é observado no contexto de uma equipa multidisciplinar. Os autores fizeram um estudo retrospectivo dos doentes observados nesta consulta no período entre 2002 e 1º semestre de 2006. Foram observados e acompanhados 294 novos doentes, tendo 80% idade superior a 60 anos. Em relação à etiologia das úlceras, 51,3% (n=151) eram venosas, 35,4% (n=104) eram diabéticas e 6,8% (n=20) eram arteriais. A área média das úlceras foi 23,9cm2 e o número médio de úlceras foi 1,6. A duração das úlceras tinha em 42,3% dos casos um período superior a 6 meses. Das 199 culturas positivas, 40,2% apresentavam Staphylococcus aureus, sendo 21,2% destes MRSA. Com o protocolo instituído, foi obtida uma taxa de cicatrização de 72,2%. 45,9% dos doentes tiveram uma cicatrização total da úlcera em menos de 2 meses, resultados estes que são muito positivos face às taxas de cicatrização de 6 meses referidas na literatura.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.17/257
Aparece nas colecções:CIR - Artigos
DER - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Rev Port Cir 2008 19.pdf3,72 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.