Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.17/1491
Título: O Volume da Aurícula Esquerda como Marcador Ecocardiográfico de Prognóstico em Doentes com Miocardiopatia Dilatada
Outros títulos: Prognostic Value of Left Atrial Volume in Patients with Dilated Cardiomyopathy
Autor: Ferreira, F
Galrinho, A
Soares, RM
Branco, LM
Abreu, J
Feliciano, J
Papoila, AL
Virella, D
Leal, A
Cruz Ferreira, R
Palavras-chave: Cardiomiopatia Dilatada/complicações
Estudos de Coortes
Aurícula do Coração
Prognóstico
HSM CAR
CHLC CINV
Cardiomiopatia Dilatada/mortalidade
Cardiomiopatia Dilatada/patologia
Tamanho do Órgão
Taxa de Sobrevivência
Data: 2013
Editora: Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Citação: Rev Port Cardiol. 2013 Nov;32(11):865-872
Resumo: Introdução: O aumento da aurícula esquerda (AE) é um marcador de mortalidade na população geral. Os doentes com miocardiopatia dilatada (MCD) têm um amplo espetro de tamanhos deAE, mas a importância clínica desta observação tem sido pouco estudada. Objectivo: Avaliar a importância prognóstica a longo prazo do volume da AE (VAE) em doentes com MCD. Métodos: Estudo prospetivo de doentes admitidos durante o ano de 2004 com o diagnóstico deMCD, em ritmo sinusal. Foi realizado estudo ecocardiográfico completo em repouso e após stress farmacológico. O endpoint composto considerou a assistência ventricular mecânica (AVM), a transplantação cardíaca ou a morte. Resultados: Foram incluídos 35 doentes (68,6% sexo masculino, idade média 52,0), 82,9% etiologia não isquémica. Fração ejeção em repouso 31,1 ± 9,4%.Durante o seguimento, oito doentes morreram, um foi colocado em AVM e um foi transplantado. A análise de Cox univariável revelou potenciais marcadores ecocardiográficos de prognóstico na amostra tais como a dimensão da AE em modo M (HR-1,12; IC: 0,99-1,26;p = 0,067); VAE (HR-1,02; IC: 1,00-1,04; p = 0,046); VAE ajustado à superfície corporal (HR-1,03;IC: 1,00-1,07; p = 0,049); E/A (HR-0,99; IC: 0,99-1,81; p = 0,060); E/A > 2 (HR-7,00; IC:1,48-32,43; p = 0,014) e E/E’ mitral (HR-1,04; IC: 1,00-1,09; p = 0,074). Na análise multivariável a única variável que permaneceu no modelo foi o VAE com o ponto de corte de 63 ml (HR-7,7, IC:0,97-60,61, p = 0,05).Conclusão: Nesta amostra, o VAE foi o único parâmetro ecocardiográfico determinante de AVM,transplantação cardíaca ou morte. Os parâmetros ecocardiográficos habitualmente utilizadospara estratificação de risco, tais como a fração ejeção do ventrículo esquerdo, a dimensão do ventrículo esquerdo e a reserva contrátil não tiveram valor prognóstico na nossa amostra.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.17/1491
Aparece nas colecções:CAR - Artigos
CINV - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RPC 2013 Volume da aurícula.pdf899,5 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.