Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.17/1460
Título: Propranolol no Tratamento do Hemangioma Infantil. A Propósito de 2 Casos
Outros títulos: Propranolol in Infantile Hemangioma Treatment. Experience in 2 Cases
Autor: Carvalho, R
Freitas, I
Henrique, M
Cardoso, J
Palavras-chave: Hemangioma
Propranolol
Terapêutica
Neoplasias da Pele
Data: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia
Citação: Revista SPDV 2011; 69 (3): 495-499
Resumo: Introdução: O Hemangioma infantil é o tumor benigno mais frequente na idade pediátrica. A maioria tem evolução favorável, no entanto dependendo da sua localização, podem levar à distorsão de estruturas anatómicas ou a outras complicações locais ou sistémicas, tornando necessária uma abordagem terapêutica precoce e eficaz. Neste contexto, desde que Léauté-Labréze e colaboradores publicaram a sua experiência com o propranolol em 2008, têm-se multiplicado na literatura internacional, casos clínicos e pequenas séries em que este fármaco é utilizado “off-label” como terapêutica de primeira linha. O presente trabalho visa reportar a experiência de um serviço na utilização de propranolol como terapêutica de primeira linha no tratamento do hemangioma infantil em 2 doentes. Casos clínicos: O doente 1, do sexo feminino, tinha um hemangioma infantil desde as 5 semanas, localizado na pirâmide nasal. O doente 2, do sexo masculino, tinha dois hemangiomas infantis ulcerados: um localizado na face, com atingimento do mento, lábio inferior, mucosa gengival e labial; um segundo de localização escrotal. Ambos os doentes realizaram indução terapêutica com propranolol em regime de internamento com uma dose alvo de 2 a 3 mg/Kg/dia. Ao fim de 6 meses de follow-up, assistiu-se a uma resposta muito satisfatória, sem complicações documentadas. Discussão: O propranolol constitui uma alternativa segura e eficaz no tratamento do hemangioma. Embora não tenham ocorrido complicações, elas estão descritas e ocorrem principalmente durante a fase de indução terapêutica, tornando importante a monitorização durante esse período.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.17/1460
Aparece nas colecções:DER - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Revista SPDV 2011 495.pdf221,02 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.