Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.17/1256
Título: A Importância da Dispneia no Diagnóstico da Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica. Uma Análise Descritiva de uma Coorte Estável em Portugal (Ensaio Clínico SAFE)
Outros títulos: The Importance of Dyspnoea in the Diagnosis of Chronic Obstructive Pulmonary Disease. A Descriptive Analysis of a Stable Cohort in Portugal (SAFE Trial)
Autor: Bárbara, C
Moita, J
Cardoso, J
Costa, R
Redondeiro, R
Gaspar, M
Palavras-chave: Dispneia
Portugal
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
DPOC
Data: 2011
Editora: Sociedade Portuguesa de Pneumologia
Citação: Rev Port Pneumol. 2011 May-Jun;17(3):131-8
Resumo: Introdução: Este estudo teve como objectivo determinar os principais sintomas percepcionados pelos doentes com doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) numa coorte de doentes que participaram num grande ensaio clínico, que avaliou o tiotrópio e que decorreu em Portugal. População e métodos: A caracterização dos sintomas, no momento de avaliação basal dos doentes foi efectuada através do recurso a um questionário padronizado. Os doentes foram inquiridos quanto aos principais sintomas que tinham levado ao diagnóstico e também quanto ao sintoma actual mais problemático. Resultados: Os resultados foram obtidos de 298 doentes, maioritariamente masculinos (95%), que apresentavam, uma média (desvio padrão) de volume expiratório forçado no primeiro segundo basal de 1,1 (0,4) L (40,6 [13.3] % do valor preditivo), uma duração média da doença de 14,4 (10,1) anos e uma carga tabágica de 55,1 (25,3) unidades maço ano. A dispneia foi o sintoma mais frequentemente reportado, como tendo sido o sintoma que levou ao diagnóstico da doença (55,0% de doentes), seguindo-se-lhe a tosse (33,2%). A dispneia foi também o sintoma actual mais problemático (82,6%), seguindo-se-lhe também a tosse (8,4%). A presença de dispneia ou tosse foi independente da gravidade da DPOC. As comorbilidades mais frequentemente reportadas foram as doenças cardiovasculares (49% dos doentes), gastrointestinais (20%) e metabólicas (16%), principalmente a diabetes mellitus.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.17/1256
Aparece nas colecções:PNEU - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
RPP 2011 131.pdf238,36 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.